Consumidor busca cada vez mais alimentos e bebidas saudáveis, segundo pesquisa da Euromonitor


post-thumb


Dados da empresa de pesquisa de mercado Euromonitor International revelam que o segmento de produtos saudáveis está apresentando um crescimento superior ao das indústrias de alimentos e bebidas à medida em que os consumidores buscam alternativas mais naturais e funcionais. A informação é do Head de Pesquisa de Alimentos da Euromonitor, Lamine Lahouasnia, que falou sobre as “As principais tendências globais no segmento de alimentos e bebidas saudáveis e as previsões do setor para os próximos anos na América do Sul”, durante o primeiro dia de Congresso no Wellfood Ingredients – Feira Internacional de Ingredientes Funcionais, Nutracêuticos e Naturais,  no Centro de Eventos Pro Magno, em São Paulo.

 

Lahouasnia destacou as tendências de consumo e oportunidades para o segmento que está em constante expansão. “É um mercado de mais de US$ 700 bilhões e com condições de chegar em breve a US$ 1 trilhão”, destacou. Na sua avaliação, alimentos ricos em calorias vazias – aqueles altamente energéticos e pobres nutricionalmente, mas que ficaram famosos por ter um sabor extremamente agradável – estão esgotados, e a preocupação com a qualidade do nutrientes está cada vez mais presente no dia a dia das pessoas. “Um exemplo são as bebidas energéticas que tiveram queda de 9% nas vendas entre 2015 e 2018, enquanto o segmento de sucos 100% naturais cresceu 25% no mesmo período”.

 

O executivo destaca cinco segmentos com potencial crescimento nos próximos anos. O de alimentos e bebidas saudáveis, que hoje já responde por US$ 269 bilhões em faturamento anual no mundo; os alimentos funcionais e fortificados, com US$ 261 bilhões; os Free From, US$ 56 bi; orgânicos, US$ 46 bi; e os better for you (melhor para você), com US$ 112 bilhões.

 

O acesso à informação, graças a Internet, segundo Lahouasnia acelera essa mudança de hábito alimentar. “A mensagem do que é bom não está mais nas mãos dos fabricantes de alimentos, mas do próprio consumidor, que busca se informar melhor”. Outro fator é a pressão ambiental que tem levado até mesmo pessoas que não são veganas a buscar produtos vegetarianos. “No Brasil já existe uma preferência por alimentos naturais, saudáveis até pela facilidade de conseguir adquirir esses produtos”, diz o executivo com base na pesquisa sobre as tendências realizada em 55 países pela Euromonitor. “Essa tendência continua a crescer”.

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três + vinte =