Com nova regulamentação, Anvisa quer reduzir fila e facilitar inovação


post-thumb


São Paulo, 4 de abril de 2019 – Com o objetivo de tornar o processo de registro de produtos mais ágil, simples e seguro, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) vem modificando sua estrutura regulatória. Uma discussão iniciada em 2011 culminou na publicação de seis Resoluções da Diretoria Colegiada (RDCs). E há mais novidades por vir.

 

Para falar sobre isso, o WellFood Summit recebeu nesta quinta-feira (4), no Centro de Eventos Pro Magno, Ligia Lindner Schreiner, Gerente de Avaliação de Risco e Eficácia de Alimentos da órgão. A palestra, oferecida pela Associação Brasileira da Indústria e Comércio de Ingredientes e Aditivos para Alimentos (Abiam), atraiu a atenção de muitas empresas, impactadas diretamente pelas normas.

 

“Este é um momento de acomodação para ambos os lados”, afirmou Ligia. “Momento para nós melhorarmos os processos e para o setor regulado entender esse novo contexto, essa nova abordagem. Todos nós queremos alimentos mais seguros e com mais qualidade”.

 

Ligia listou os seis principais objetivos das medidas. Em linhas gerias, as medidas buscam facilitar o acesso a suplementos alimentares seguros, melhorar o controle sanitário, reduzir assimetria de informação e eliminar obstáculos à inovação.

 

Como próximos passos, a Anvisa deseja publicar um Documento Base sobre Especificações e racionalizar filas. Afinal, a própria admite que, embora as filas de petições tenham sido zeradas com o auxilio da nova regulamentação, as filas de avaliação aumentaram. “Estamos preocupados com isso e iniciamos várias ações para reduzi-las”, disse Ligia.

 

Regulamentação tem que ser baseada na ciência, diz especialista do setor

Munida de estudos científicos, a indústria alimentícia aposta na valorização da ciência como ferramenta principal no desenvolvimento de regulatórios e na sua participação efetiva nas discussões para que a realidade do setor seja considerada na hora da tomada de decisões.

A importância da participação do setor nas discussões com os órgãos regulatórios e a sociedade civil foi um dos assuntos abordados por Marcos Pupin, da Abiad (Associação Brasileira da Indústria de Alimentos Para Fins Especiais e Congêneres) durante sua participação no congresso da WellFood Ingredients.

 

“É um dever da nossa parte [indústria] contribuir para a construção dos regulatórios para que todos saibam os impactos das ações no setor produtivo”, afirma Pupin.

 

Pupin destaca também a importância e eficácia dos acordos entre Anvisa, ministério e setor, que evitam os longos processos regulatórios. “Os acordos de redução de certos ingredientes são exemplos de como é possível produzir sem regulamentos técnicos, uma agenda regulatória ou consulta pública. É o caso da redução de açúcar, por exemplo”, diz.

 

Produtos com foco em saúde mental e qualidade de vida são tendência de mercado para indústria alimentícia

Estar atento aos conceitos de saúde do consumidor é o desafio da indústria para desenvolver e oferecer produtos que atendam às novas demandas, atualmente, com muitos detalhes e especificações de acordo com cada geração de consumidor.

 

Dados apresentados pela DSM Latam, no segundo dia do Congresso WellFood Ingredients, Summit Internacional de Ingredientes Funcionais, Nutracêuticos e Naturais, apontam que consumidores brasileiros e de outros países da América Latina têm, em primeiro lugar, maior preocupação com doenças mentais e emocionais e, segundo lugar, com a proteção do corpo contra doenças que podem aparecer em longo prazo. Esse tipo de dado serve de norte para a indústria, que pode, a partir daí, desenvolver produtos e uma comunicação que sejam mais assertivas atendam a essas preocupações.

 

“O consumidor trocou sua maneira de se relacionar com o produto. Antes, essa relação se dava por elementos como ingredientes e sabor, por exemplo. Agora, a transparência e a saúde se destacam. Os produtos têm que fazer bem para ele, para sua família e para o meio ambiente”, afirma Ana María Carvajal, líder do segmento Food & Beverages da DSM.

 

Como tendência, Carvajal aponta alguns tópicos importantes, que podem servir de ponto de partida para alguns setores da indústria que buscam melhorar a relação de seus produtos com o consumidor.

 

Entre essas tendências, se destacam produtos que desenvolvam a parte cerebral (concentração e desenvolvimento cognitivo), que ajudam no desempenho das atividades diárias (prática de esportes e trabalho) e que colaborem para um envelhecimento saudável.

 

Liofilização preserva os compostos essenciais das frutas

É possível manter as qualidades das frutas com a Liofilização. O sistema retira a água através da sublimação. A técnica foi explicada pela coordenadora de P&D da Liotécnica, Daniela Valim Hatano, nas palestras que estão sendo promovidas pelas marcas expositoras, no WellFood Ingredients.

 

“A Liofilização ocorre quando o alimento congelado, isto é, quando todo o seu conteúdo de água está na forma de gelo, é submetido a condições de pressões muito baixas”, explica Daniela. O produto é colocado em câmaras herméticas, o ar de dentro é removido por meio de bombas de alto vácuo, criando a condição para que ocorra a sublimação da água. “A água passa de seu estado sólido para o gasoso a temperaturas muito baixas e sem a presença de oxigênio, fatores muito favoráveis para a preservação das características nutricionais de um alimento”, garante a coordenadora.

 

É preciso estratégia para vender através de mídias sociais

As empresas não estão preparadas para utilizar as mídias sociais de forma comercial. A constatação é do especialista em Mídias Digitais, Douglas Gomides, que participou do Congresso do WellFood Ingredients, Summit Internacional de Ingredientes Funcionais, Nutracêuticos e Naturais, em São Paulo. Para ele, os empresários precisam traçar estratégias para colocarem seus produtos na Internet.

 

Na sua avaliação,  trabalhar a estratégia de marketing de conteúdo com as redes sociais “é uma maneira incrível de construir uma marca”. “Mas muitos empreendedores digitais ainda não conseguem impulsionar suas vendas e ganhar dinheiro por meio dessa estratégia.Isso porque esses profissionais enxergam as redes sociais somente como meio de se relacionar com os clientes e solucionar os problemas deles”, afirma.

 

O primeiro passo é prestar atenção no que estão falando na rede, principalmente a concorrência. “A partir daí é possível se criar uma estratégia voltada para as mídias sociais com produção de conteúdo mais adequado para o público”, diz.

 

Mas para se ter sucesso, o empresário precisa ficar atento a quatro passos: planejamento, execução, métrica e otimização. “Sem métrica não há como saber se o resultado é o esperado. Será que a verba está sendo investida no lugar correto? A partir daí produzir conteúdo baseado nesses dados”, explica.

 

Embalagens tecnológicas revolucionam forma do consumidor lidar com produtos

O avanço da tecnologia não está somente na produção de alimentos. As embalagens têm acompanhado os tempos modernos e ajudado a indústria a se comunicar e interagir de uma nova maneira com o consumidor.

 

Atualmente, as embalagens podem trazer indicativos de temperatura, QR Codes de rastreabilidade, realidade aumentada para entretenimento, válvula de alívio de pressão para ajudar no preparo, indicador de tempo de uso e muito mais.

 

A velocidade com que as embalagens se transformam tem acompanhado o dinamismo da contemporaneidade. É o que afirmou Claire Sarantopoulos, pesquisadora científica do Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL), na sua palestra realizada no primeiro dia do Congresso WellFood Ingredients. 

 

Sarantopoulos apresentou em uma palestra uma vasta variedade de tipos de embalagem, que vem para atender à necessidade da indústria e dos consumidores. “Com a rastreabilidade, por exemplo, o consumidor sabe de onde está vindo o produto, o que dá mais credibilidade. Mas também pode facilitar para empresa, caso seja necessário um recall”, diz.

A cientista exemplificou os tipos de tecnologias de embalagens existentes, mostrando que o futuro das embalagens é promissor e que a evolução no setor será constante nos próximos anos.

 

Serviço:

WellFood Ingredients 2019
Data: 3 e 4 de abril
Local: Centro de Eventos Pro Magno
Endereço: Av Professora Ida Kolb 513 – Jardim das Laranjeiras
Horário: Congresso das 09:00 às 17:45 / Exposição das 10:00 às 19:00
Mais informações: www.wellfoodsummit.com.br

 

Sobre a Koelnmesse Brazil

Atualmente, a Koelnmesse organiza seis feiras no Brasil: a feira de moda infantil FIT 0/16, realizada duas vezes por ano em São Paulo; a Pueri Expo, Feira Internacional de Negócios em Puericultura, evento inspirado na maior feira de artigos infantis do mundo, a “Kind + Jugend”; o WellFood Ingredients, Summit Internacional de Ingredientes Funcionais e Nutracêuticos, e o lançamento ANUFOOD Brazil, Feira Internacional Exclusiva para o Setor de Alimentos e Bebidas, inspired by Anuga, que será realizada em 2019. Já em Curitiba, acontece a cada dois anos a ANUTEC Brazil, feira de tecnologia para indústria alimentícia. A Koelnmesse Brasil está localizada em São Paulo e conta com uma equipe com mais de 10 anos de experiência na organização de grandes eventos para diversas indústrias. Sob comando do diretor Cassiano Facchinetti, a filial brasileira é responsável pelos eventos internacionais da Koelnmesse, além do futuro desenvolvimento das atividades comerciais no país.

 

Koelnmesse – Global Competence in FoodandFoodTec: A Koelnmesse é líder internacional na implementação de feiras de alimentos e serviços e produtos relacionados a processamento de alimentos e bebidas. Feiras como a Anuga, a ISM – Feira Internacional de Doces e Biscoitos e a AnugaFoodTec são reconhecidas em todo mundo como líderes absolutas em seus setores. A Koelnmesse também organiza feiras líderes no setor de alimentos e bebidas em outros mercados emergentes no mundo todo, tais como: Brasil, China, Índia, Itália, Japão, Tailândia, Estados Unidos e Emirados Árabes Unidos. Com estas atividades globais, a Koelnmesse oferece aos seus clientes um completo portfólio de eventos qualificados, em diferentes mercados, que garantem uma rede de negócios sustentável e internacional.
Mais informações: http://www.global-competence.net/food/

 

Informações para imprensa:

2PRÓ Comunicação – Koelnmesse
Email equipe: wellfood@2pro.com.br
Teresa Silva – teresa.silva@2pro.com.br
Renê Gardim – rene.gardim@2pro.com.br
Ricardo Berezin – ricardo.berezin@2pro.com.br
+55 (11) 3030-9463/9422/9402
www.2pro.com.br



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 − seis =